Livro “250 Anos de Histórias” da Quinta Nova premiado com IF Design Award

Autor: Miguel Marote Henriques    Data: 23-02-2016
Publicado em: Cultura, Empresas, Inovação, Notícias, Produtos tradicionais

quinta_nova“250 Anos de Histórias” é vencedor no iF Design Award, um dos principais concursos de design a nível mundial. O livro – criado e produzido pela agência Omdesign para a Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo – integra a lista de vencedores desta relevante competição internacional.

Luisa Amorim destaca “este é um prémio que nos enche de orgulho pois valoriza o livro criado para divulgar a magnífica e muito rica história da Quinta Nova”. “Partilhamos este prémio com José Braga-Amaral e a Omdesign, porque acreditaram no nosso projeto e deram um relevante contributo para a criação desta obra” acrescenta a mesma responsável.

É consensual referir-se, nos dias de hoje, que as quintas do Douro são os pilares de toda a estrutura económica e social do Alto Douro Vinhateiro, mas nem sempre foi assim. No livro que comemora os 250 anos da adega da Quinta Nova (1764, uma das mais antigas do Douro), são relatadas várias histórias de um Douro antigo, de difícil acesso e anterior às exportações de vinho para o mercado britânico e por isso, muito ligado à agricultura de subsistência, produzindo até ao século XVII azeites e frutas e, depois da crise da filoxera, tabaco e sumagre destinado à curtição de peles, traduzindo bem a arte e o engenho humano, numa terra inóspita e isolada de todos.

1615[1]

Esta obra traduz bem a importância da navegabilidade do rio Douro e as turbulentas viagens dos barcos rabelos, anteriores à construção das barragens, que encontravam pontos perigosos, construindo por isso capelas e pequenos santuários junto às margens, como é o caso da Capela de Nossa Senhora do Carmo.

«É assim que nasce um nome histórico, uma marca de vinhos de nome muito comprido, de uma das quintas mais emblemáticas da região – Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo», refere Luisa Amorim. «Mesmo que se produza vinho há mais de 2000 anos na região, há um Douro que poucos conhecem e que é muito anterior ao tempo do “Port wine”, durante o qual se transportavam nos barcos rabelos, rio abaixo, vários produtos agrícolas e, rio acima, se regressava com mantimentos e iguarias como o sal e o peixe do mar».

Mas esta quinta é muito anterior a 1764 e a pesquisa histórica confirma-a como uma grande terra pertencente à Casa Real Portuguesa, tendo sido identificado o seu primeiro proprietário em 1725. A investigação provou igualmente que a adega vinificava mais de 3.500 pipas de vinho, de parcelas e quintas vizinhas, tendo sido logo «integrada na primeira demarcação da região».

A obra foi selecionada de um grupo de 5 mil projetos inscritos, promovidos por 50 países. A cerimónia de entrega de prémios será realizada no próximo dia 26 de fevereiro, em Munique, no emblemático BMW Welt, integrada no “Munich Creative Business Week”, contando com a participação de 2 mil convidados, provenientes de mais de 20 países.

O livro “250 Anos de Histórias”, da autoria de José Braga-Amaral e prefácio de Bento Amaral, já tinha sido distinguido, em 2015, noutros dois concursos internacionais de renome, com Ouro no Creativity International Graphic Design Awards e Prata no International Design Awards.

Fonte: Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo
Foto:
DR