Hospital de Guimarães inova no tratamento Aneurismas da Aorta Abdominal

Autor: Miguel Marote Henriques    Data: 22-02-2016
Publicado em: Ciência, Inovação, Notícias

hospital_GMR

O Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães, acaba de colocar, pela primeira vez em Portugal, um sistema de fixação adicional numa prótese endovascular para tratar um aneurisma da aorta abdominal (AAA). Este sistema de fixação inovador permite evitar fugas de sangue, diminuindo assim um dos principais riscos associados à técnica.

O sistema de fixação consiste na colocação de uma espécie de “parafuso” que prende a endoprótese à parede da aorta, evitando assim fugas de sangue e necessidade de reintervenção em caso de movimentação do local de posicionamento original da prótese - Amílcar Mesquita, cirurgião vascular e Diretor do Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital de Guimarães

O sistema de fixação foi colocado pela primeira vez em Portugal no Hospital de Guimarães numa mulher de 85 anos e com um aneurisma de 8 cm em perigo de ruptura.

O AAA é uma doença grave, sem sintomas, que se carateriza por uma dilatação lenta e progressiva da aorta, a maior artéria do organismo que, quando rompe, origina uma perda de sangue muito grave que pode resultar em morte súbita. Estima-se que, na Europa, 80 milhões de pessoas com mais de 65 anos estejam em risco de desenvolver um AAA.

Os indivíduos com idade superior a 60 anos, do sexo masculino, fumadores ou ex-fumadores, com hipertensão arterial, colesterol elevado, doença cardiovascular ou doença pulmonar obstrutiva crónica correm mais riscos de sofrer de um AAA.

O tratamento endovascular é uma forma menos invasiva de tratamento do AAA que a cirurgia convencional. Através de uma cirurgia minimamente invasiva, a endoprótese é colocada para reforçar a parede da aorta e ajudar a impedir que a área lesionada se rompa.

Fonte: Hospital de Guimarães
Foto: Município de Guimarães