Sociedade Americana de Física premeia o trabalho do Físico Português Nuno Loureiro

 

Instituto_Superior_Técnico_8893

Aconteceu já no final de Junho, mas nunca é demais sublinhar o feito do Físico Português Nuno Loureiro, investigador do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear do Técnico: foi o vencedor do Prémio Thomas E. Stix para jovens cientistas na área da Física de Plasmas.  É sempre um orgulho, abrirmos o site da conceituada Sociedade Americana de Física (APS) – provavelmente a maior das Sociedades de Física e a responsável pela edição dos jornais com maior factor de impacto neste ramo das ciências naturais – e vermos esta notícia com a fotografia do Nuno Loureiro.

Tal como está descrito nesta página este prémio, com o nome do físico americano pioneiro do estudo da Física dos Plasmas nos anos 1960s, pretende distinguir os jovens Físicos (Físicos que terminaram o seu doutoramento há menos de dez anos) que, com o seu trabalho de investigação contribuíram para avanços significativos na área da física dos Plasmas – quer com trabalho teórico, experimental, ou dedicado a aparelhagem científica. O Prémio consiste num certificado e em 2000 dólares para o premiado e será entregue Divisão de Física dos Plasmas da APS a realizar em Novembro deste ano.

nuno_loureiro_small
Nuno Loureiro, terminou o seu pós-doutoramento na conceituada Universidade de Princeton, e no Centro para a Energia de Fusão de Culham, no Reino Unido, regressou a Portugal em 2008 para integrar o Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear no Instituto Superior Técnico, como se pode ler no jornal Público.

O seu trabalho tem-se focado no fenómeno de reconexão magnética. Dá-se este nome ao fenómeno de relaxação do campo magnético de um plasma (um estado de matéria, tal como o estado sólido, líquido e gasoso) quando este é sujeito a grandes tensões eléctricas – fenómeno análogo à relaxação elástica de um material (por exemplo uma borracha) quando sobre ela são aplicadas tensões mecânicas. Tal como numa borracha, que aquece liberta calor, aquecendo, neste processo de relaxação, também os plasmas libertam grandes quantidades de energia nestes processos podendo gerar explosões – como as que acontecem no Sol (onde existe muita matéria neste estado de plasma).

Fotos: DR